Túnel Submerso Santos – Guarujá

Com a Licença Ambiental aprovada, a Dersa estima que as obras se iniciem em julho. O traçado final do túnel contempla uma série de ajustes incorporados para atender às demandas da população e das prefeituras locais.

O Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente) autorizou nesta quarta-feira (2), por unanimidade, que a Cetesb emita a Licença Ambiental Prévia (LP) para a implantação do túnel submerso Santos – Guarujá. Foram 27 votos a favor e duas abstenções.

A Dersa (Desenvolvimento Rodoviário), responsável pelo projeto em parceria com o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), estima que as obras iniciem em julho. A partir de agora, será realizado o planejamento da construção.

O túnel terá 762 metros de extensão, 950 metros de rampas e cerca de 4,5 km de obras viárias em superfície e em viadutos. Quando pronto, interligará os bairros de Macuco, em Santos, e Vicente de Carvalho, em Guarujá. Atualmente, o trajeto entre os dois municípios pode ser feito por balsa ou pela rodovia Cônego Domênico Rangoni, onde o motorista tem que percorrer 43 quilômetros. A estimativa da travessia entre Santos e Guarujá pelo túnel será de pouco mais de um minuto.

O Túnel Imerso Santos-Guarujá terá profundidade mínima de 21 metros e três faixas de rolagem por sentido e também terá espaço para pedestres e ciclistas.

MÓDULOS

A ligação por um túnel entre as duas cidades é imaginada há quase 80 anos. Os túneis terão espaço para carros, ônibus, caminhões e também pedestres e bicicletas. A obra deve aliviar a operação das nove balsas que fazem a ligação entre as duas cidades, mas os planos da Dersa (que também opera as barcaças) são de mantê-las em operação quando o túnel estiver aberto.

A estrutura será composta por seis módulos de concreto pré-moldado e seu orçamento é estimado em R$ 2,4 bilhões, incluindo projeto, licenciamento, obras, desapropriações e reassentamentos, e será concluído em 36 meses. A montagem dos módulos de concreto pré-moldado será realizada em uma doca no Guarujá e depois de finalizados serão rebocados flutuando até onde serão submersos e fixados.

 


A CONSTRUÇÃO PASSO A PASSO

Para a realização do projeto, a Dersa recebeu a consultoria da empresa holandesa Haskoning Nederland B.V., responsável por outros projetos como estes em diversos países.

Confira no Vídeo o traçado definitivo e o sistema de construção:

Fonte:

Dersa / Estado de São Paulo

 

 

 

     
    M_in_noticia