Telhas de alumínio: Conceitos Fundamentais

Embora as soluções em alumínio para cobertura de edificações (sobretudo comerciais) já estejam em uso há mais de 115 anos no mundo, observa-se que ainda há carência de informação e conhecimento técnico sobre estes produtos no mercado brasileiro.

Diante deste cenário, o presente artigo técnico objetiva inaugurar uma série voltada justamente a contribuir na disseminação de maior conhecimento a respeito desta família de produtos.

Primeiramente, já que foi mencionado que este produto está em utilização há mais de um século, considera-se pertinente explicar então porque ele é tão longevo assim.

A durabilidade de materiais metálicos utilizados na cobertura de edificações está diretamente associada à perda de massa da camada protetora sobre sua superfície, de acordo com o grau de agressividade atmosférica onde a obra estiver inserida, provocando assim o efeito de oxidação sobre o metal (o qual é popularmente chamado de “ferrugem”).

Isso significa dizer que em um ambiente rural, onde geralmente a atmosfera é muito pouco agressiva, ocorre menos perda de massa e, consequentemente, o produto apresenta maior durabilidade. Em contrapartida, em um ambiente atmosférico caracterizado como industrial severo, a perda de massa ocorre de forma mais acentuada, ocasionando então menor vida útil dos materiais metálicos para cobertura.

No entanto, o metal alumínio apresenta uma característica físico-química intrínseca bastante peculiar que o diferencia sobremaneira dos demais metais comumente utilizados para esta finalidade. Esta característica consiste em sua elevada resistência à oxidação e à ação atmosférica da maioria dos ambientes, a qual lhe é conferida naturalmente pela formação de uma camada de Al2O3 (óxido de alumínio) sobre a superfície do metal quando em contato com o oxigênio.

Diferentemente do processo de oxidação de cunho destrutivo que acomete outros metais (o qual se caracteriza por ser progressivo), esta camada não tem caráter progressivo e também não deteriora o alumínio e atua, na verdade, como uma espécie de proteção natural contra as intempéries.

Sendo assim, graças à capacidade natural do metal em formar esta camada delgada invisível a olho nu (que mede apenas 1.000 Å, conforme ilustrado na Figura 01), as telhas de alumínio conseguem apresentar elevada longevidade, mesmo em acabamento natural.

Figura01

Figura 01: Camada de óxido de alumínio sobre a superfície do metal

Se lhes for adicionada uma camada de pintura eletrostática, a durabilidade será acrescida à garantia de vida útil informada pelo fabricante da tinta, o que pode significar, pelo menos, acima de 10 anos a 15 anos adicionais dependendo das características da tinta e do ambiente.

Por fim, uma prova inconteste dos fatores que acabaram de ser expostos, reside em exemplos reais de obras que adotaram este produto como elemento de cobertura, conforme ilustrado na Tabela 01 a seguir.

Tabela1

Inclusive, neste rol de obras exemplificados na Tabela 01, cabe salientar que o telhado da Igreja San Gioacchino é considerado como o marco inicial da utilização deste produto como solução para cobertura de edificações no mundo, de tal forma que quando completou um século, ganhou uma placa comemorativa afixada em sua entrada principal (reproduzida na Figura 02).

telhas-figu02

Portanto, as soluções em alumínio (sejam elas com telhas convencionais ou zipadas a partir de bobinas deste metal) representam uma excelente alternativa técnica dentro do universo de coberturas metálicas para edificações.

Sugestões de leituras:

Para quem desejar se aprofundar um pouco mais nos temas discutidos neste artigo sugere-se as seguintes bibliografias complementares:

Abdo, Nazir A.; Lisboa, Jairo; Atti, Vanderlei N. (Coord.). (2001). Guia técnico do alumínio: Estruturas. ABAL, São Paulo

Coates, David T. (1993). Roofs and roofing: design and specification handbook. Whittles Publishing. UK

Hatch, John. (1984). Aluminium: properties and physical metallurgy. American Society for Metals.

Reichold, K.; Graf, B. (1999). Buildings that changed the world. Prestel Verlag. München

Wilquin, H. (2001). Aluminium architecture: construction and details. Birkhäuser Publishers for Architecture. Germany

Sobre o autor:

Luiz Valério de Paula Trindade é Mestre em Administração de Empresas e graduado em Engenharia Mecânica, com experiência superior a 15 anos no mercado de coberturas de edificações.

Fonte:

Belmetal, por Engº Luiz Valério de Paula Trindade

     
    M_in_noticia