Sistema Industrializado de Construção
Steel Framing Edificações Leves

O aço tem sido utilizado através dos tempos como um material de versátil aplicação, alto desempenho técnico e adaptável às mais severas condições de serviços. Devido às suas características técnicas e acompanhando a evolução tecnológica, tem substituído outros materiais em vários setores industriais.

Produzido no parque siderúrgico brasileiro e integrado com outros componentes industrializados, o aço, agora empregado no sistema construtivo steel framing ou frame, substitui com vantagens técnicas, econômicas e ambientais, materiais como tijolos, madeiras, vigas e pilares de concreto, proporcionando um salto qualitativo no processo produtivo e posicionando a indústria nacional de construção civil de uma forma mais competitiva frente a um mercado globalizado.

O sistema de construção a seco “DRYWALL” começou a ser apresentado pela construção civil brasileira nos início da década de 90. No entanto, era apenas utilizada nas paredes internas de uma construção, como paredes de vedação.

Com o incremento cada vez maior das paredes em DRYWALL, e a busca de maior competitividade do setor de construção civil, pelo próprio efeito da globalização, as construtoras começam a procurar com mais intensidade novas tecnologias, para atender a nova dinâmica de mercado.

Em 1998 começou a ser implantado no Brasil as primeiras construções no processo “Steel Framing”, dando prosseguimento à necessidade de um produto industrializado e as vantagens intrínsecas desse processo construtivo frente ao sistema tradicional. Portanto, podemos considerar que é um produto tecnológico novo no país.

Estrategicamente, os primeiros grandes projetos em “STEEL FRAME” tiveram como foco as construção residenciais de médio e alto padrão, para romper conceitos culturais, formar opinião e adequar as possibilidades de financiamento existentes.

Outros objetivos importantes no processo de desenvolvimento e sedimentação do sistema no Brasil é atender às construções comerciais, industriais e casas populares. Este tipo de construção não é apenas um modismo, mas uma tendência de modernização da construção civil.

(clique nas imagens para ampliá-las)

O Conceito

O sistema construtivo steel framing tem como conceito básico o emprego de componentes industrializados na construção civil , aliado a uma metodologia executiva desses componentes que promovem um controle do processo do produto final mais apurado, gerando dessa forma mais segurança e menor risco de desvios nos procedimentos tanto a nível de materiais, bem como aos serviços envolvidos durante as etapas da construção.

A participação do aço no sistema é significativa, a superestrutura (paredes e estrutura de telhado) da obra em steel framing é composta de perfis leves de aço galvanizado.

Os demais componentes do sistema construtivo steeel frame como:

  • elementos de fixação - parafusos e conectores;
  • fechamentos – chapas de gesso acartonado, chapas cimentícias;
  • isolantes termo acústicos e impermeáveis – mantas e filmes;
  • sistemas hidráulicos e elétricos;
  • revestimentos.

Integram- se no sistema construtivo formando uma cadeia produtiva de produtos industrializados nacionalizados de alto padrão de qualidade na construção civil.

Especificações do Sistema Construtivo Steel Framing

No sistema construtivo steel framing utilizamos o conceito de cargas distribuídas para distribuição dos esforços gerados pelas edificações . A estrutura é composta de perfis leves de aço galvanizado denominados de montantes e guias que formam os painéis autoportantes das paredes e estrutura de telhado e constituindo no final um conjunto monolítico leve e resistente conforme apresentado no esquema abaixo:

(clique na imagem para ampliá-la)

Dimensões Nominais usuais de Perfis de Aço (conforme NBR 6355)

Descrição do Sistema Construtivo

 

(clique nas imagens para ampliá-las)

1. Estrutura da Edificação

A estrutura da edificação é constituída de painéis metálicos, compostos de perfis de aço de 0,95 mm de espessura, com revestimento anticorrosivo zincado por imersão a quente. Os perfis são fixados entre si através de parafusos autobrocantes, compondo painéis de paredes, lajes de piso/forro e estrutura de telhado, constituindo dessa forma, um conjunto monolítico de grande resistência e apto a absorver as cargas e esforços solicitados pela edificação e agentes da natureza (vento, chuva, etc...). O dimensionamento e espaçamentos padronizados dos perfis estruturais seguem uma normatização internacional e são definidos conforme necessidade do projeto arquitetônico e estrutural.

Os demais elementos estruturais como cantoneiras e fitas de aço, utilizados para rigidez e contraventamento são compostos do mesmo tipo de aço dos perfis. A estrutura de aço é ancorada junto à fundação com parafusos e pinos específicos.

2. Fundação

A fundação da edificação normalmente é constituída de uma laje de concreto armado, tipo “radier”, apoiado sobre terreno nivelado e compactado. Outros tipos de fundação podem ser utilizados dependendo do tipo de solo e necessidades do projeto estrutural. Salientamos a vantagem do sistema com relação à menor solicitação de cargas do conjunto estrutural.

3. Fechamentos

As paredes de elevação, lajes e estrutura do telhado que compõem a estrutura da edificação são completadas com chapas de fechamento, que contribuem de forma importante no contraventamento da estrutura.

Na parte externa dos painéis das paredes externas são utilizadas as chapas cimentícias, compostas de cimento, fibras e agregados; de dimensões variadas e espessura de 10mm e/ou 12mm. As chapas são fixadas diretamente nos perfis estruturais com parafusos, sobre manta impermeável justaposta ao perfil. As juntas das chapas são tratadas com produtos especificados pelo fabricante.

Outra forma de se realizar o fechamento das paredes externas é a projeção manual ou mecânica de argamassa de cal, cimento e areia sobre telas aço expandida , ou chapas de OSB (chapas de fibra de madeira prensada). Na parte interna do painéis das paredes externas e nos painéis das paredes internas e forros, são utilizados as chapas de gesso acartonado, constituídas de massa de gesso e agregados confinados superficialmente pelo cartão de papelão kraft, de dimensões variadas e espessura de 12,5mm, fixadas diretamente nos perfis com parafusos; as juntas das chapas são tratadas com produtos especificados pelo fabricante.

As paredes externas tem normalmente espessura final de 165 mm. As paredes internas tem espessura final de 120 mm.

4. Impermeabilização

As bases inferiores que compõem os painéis de aço galvanizado são revestidos por mantas impermeabilizantes auto adesivas de polietileno, como interface ao concreto da laje de fundação.

As faces externas dos perfis que compõem a estrutura das paredes de elevação externas, e a estrutura do telhado são revestidos com manta impermeável com característica de evitar condensação interna, garantindo estanqueidade contra presença de água ou umidade.

5. Revestimentos e Acabamentos

Após a composição da fundação, superestrutura, impermeabilização e fechamentos os demais componentes utilizados como revestimentos e acabamentos são os habituais da construção como : pintura (texturizadas, lisas), revestimentos cerâmicos (pisos, azulejos, tijolo à vista), telhado ( telha cerâmica de barro, concreto, metálica, asfáltica).



     

    Preço
    R$ 1.253,90
    à vista

    ou em até 10x de R$ 125,39

    M_in_noticia