Moradia Segura e mais Barata

Inovação e tecnologia que utiliza estruturas de aço aplicada com sucesso na construção de unidades habitacionais.

Destinada a moradores de classe média, a casa Usiframe é uma das novidades do segmento da habitação.
Com tecnologia e imaginação, engenheiros e técnicos encontram novas aplicações para o aço na construção civil. É o caso da casa Usiteto, moradia popular e econômica feita para programas habitacionais de grandes dimensões; e também do mais recente lançamento, a casa Usiframe, que tem a classe média como público alvo, ambos produtos da Usiminas.

A tecnologia frame, que significa moldura ou estrutura em inglês, não é nova ou exclusiva. A técnica consiste no uso de vigas de aço que se encaixam. O processo é aplicado em várias partes do mundo, como Estados Unidos, Japão e Argentina, país onde a Usiminas tem a parceira Siderar, que proporcionou a transferência da tecnologia para o Brasil.

A partir desta segunda-feira, informações sobre o produto serão repassadas a 12 empresas e construtoras de vários estados brasileiros certificadas de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) : Basf, Sasazaki, Placo, Masisa, Madez, Astra, Isover, Flasan, Deca, Rollfor, Itatiaia, Cecrisa, Construtora Seqüência, Siderar, Efatá, Bedê, Suggar, Betsino, Hilti, Suvinil, Unileste e UFMG.

Os técnicos da Usiminas, segundo informa o gerente de Desenvolvimento da Aplicação do Aço, Pedrosvaldo Caram dos Santos, farão a montagem de uma casa Usiframe de 85 metros quadrados de área em dois pavimentos, na sede da siderúrgica, em Belo Horizonte. A idéia é tirar dúvidas em todas as etapas.

O Usiframe, asseguram os projetistas, proporciona maior rapidez e qualidade na hora de construir, com algumas diferenças com relação ao Usiteto, porque incluem não apenas as estruturas, mas também as paredes em aço. A Usiminas vai produzir as estruturas, mas estará terceirizando a preparação das chapas, que também serão revestidas em ambos os lados com isolantes térmicos e acústicos, informa Caram. Essas chapas são preparadas para o encaixe rápido nas estruturas. "É a industrialização total da construção", declara, sem perder de vista a idéia de que essa é uma tendência para a arquitetura moderna.

Praticidade

Durante a montagem, que termina nesta sexta-feira, os construtores vão acompanhar passo a passo os procedimentos necessários dentro do processo construtivo. O Usiteto é semi-industrializado com paredes de alvenaria. Nesse aspecto, é o sistema que inclui parte estrutural e fechamento, o que facilita não apenas a construção, como também reformas e adaptações sem ter que demolir paredes. Basta retirar as placas, que são galvanizadas e finas, para ampliar ou reduzir ambientes.

O morador de uma residência Usiframe não percebe que está vivendo dentro de uma estrutura de metal. "O revestimento permite a aplicação de tinta e texturas como nas paredes de tijolo e alvenaria", garante o diretor de desenvolvimento. Trata-se de gesso acartonado para o revestimento interior e placa cimentícia para paredes externas e fachadas.

O sistema Usiframe já foi adotado em obras de grande porte. Custo competitivo, redução de prazos de construção, rapidez no retorno dos investimentos, canteiros de obras mais limpos, menos desperdício, flexibilidade nos projetos e construção seca, sem a necessidade de jogar água para aumentar a resistência do concreto, são algumas das vantagens apontadas. Esse foi o processo utilizado para na construção do Centro de Referência em Pneumologia do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, em Nova Lima, em parceria com a Construtora Seqüência para a mineração Anglo Gold. A obra foi realizada em tempo recorde, com 500 metros quadrados, em 45 dias.

Exportação

Uma ponte em Nova York, entre os bairros Bronx e Queens, deverá ser feita pela Usiminas. O contrato, que não havia sido fechado até a última sexta-feira, envolve recursos da ordem de US$ 20 milhões, mas já está em fase avançada de negociação. As estruturas metálicas, em aço, serão feitas pela Usiminas Mecânica, que iniciou este ano a montagem da ponte rodoferroviária sobre o rio Orinoco, em Puerto Ordaz, na Venezuela, contrato assinado com a Construtora Norberto Odebrecht.

Angela Drumond

Fonte:

CBCA

     
    M_in_noticia