Lyon: Satolas Railway Station

Esta estação de 5.600m², localizada no aeroporto de Lyon - Satolas, é parte da nova geração de instalações ferroviárias destinada a atender o desenvolvimento da rede de trens de alta velocidade ( TGV ) da França.As linhas de transporte ferroviário, aéreo, e rodoviário local agrupadas num único local, contribuem para a obtenção de um sistema particularmente eficiente.Com 120m de comprimento, 100m de largura e 40m de altura, este terminal de passageiros, inaugurado em 7 de julho de 1994, baseia-se numa estrutura central de aço de 1.300 toneladas.

O projeto, que sugere um pássaro em pleno vôo, lembra o terminal da TWA do Aeroporto John F. Kennedy, criada por Eero Saarinen (1957 / 62), mas a fantasia de Santiago Calatrava é muito mais espetacular, confirmando-o como um dos mais criativos arquitetos - engenheiros contemporâneos, na linha do italiano Pier Luigi Nervi. O complexo e sua ligação com o aeroporto, se visualizado em planta, assemelha - se também com uma manta raia, sendo estas referências ao mundo animal, típicas da obra de Calatrava.Por baixo do edifício principal, passam seis linhas de trem que terminam numa plataforma coberta de 500m de comprimento, também projetada por Calatrava. As vias centrais, previstas para os trens de alta velocidade, que circulam a mais de 300 Km/h, são protegidas por uma concha de concreto, que absorve as ondas de choque provocadas pela passagem do TGV, um sistema que exigiu um rigoroso cálculo da "onda expansiva".

Esta estação de 5.600m², localizada no aeroporto de Lyon - Satolas, é parte da nova geração de instalações ferroviárias destinada a atender o desenvolvimento da rede de trens de alta velocidade ( TGV ) da França. As linhas de transporte ferroviário, aéreo, e rodoviário local agrupadas num único local, contribuem para a obtenção de um sistema particularmente eficiente.
Com 120m de comprimento, 100m de largura e 40m de altura, este terminal de passageiros, inaugurado em 7 de julho de 1994, baseia-se numa estrutura central de aço de 1.300 toneladas.
O projeto, que sugere um pássaro em pleno vôo, lembra o terminal da TWA do Aeroporto John F. Kennedy, criada por Eero Saarinen (1957 / 62), mas a fantasia de Santiago Calatrava é muito mais espetacular, confirmando-o como um dos mais criativos arquitetos - engenheiros contemporâneos, na linha do italiano Pier Luigi Nervi. O complexo e sua ligação com o aeroporto, se visualizado em planta, assemelha - se também com uma manta raia, sendo estas referências ao mundo animal, típicas da obra de Calatrava.
Por baixo do edifício principal, passam seis linhas de trem que terminam numa plataforma coberta de 500m de comprimento, também projetada por Calatrava. As vias centrais, previstas para os trens de alta velocidade, que circulam a mais de 300 Km/h, são protegidas por uma concha de concreto, que absorve as ondas de choque provocadas pela passagem do TGV, um sistema que exigiu um rigoroso cálculo da "onda expansiva".

Clique nas imagens para ampliá-las.

Vistas Externas

Vistas internas


Projeto


Fonte:

Revista Taschen
Contemporary European Architects, Vol.III

     
    M_in_noticia