Estações Ferroviárias em China – Parte 1: Pequim

A linha ferroviária de alta velocidade de maior extensão do mundo é a que liga Pequim a Guangzhou. Inaugurada em 2012, tem 2.300km de extensão e foi construída em pouco mais de 5 anos. As primeiras conexões ferroviárias de alta velocidade na China foram inauguradas em 2007. Desde então, o país construiu a maior rede do mundo, com mais de 8.000 km no fim de 2010, número que deve dobrar até 2020.

Terminal_Pequim_exterior_01

Uma das estações mais importantes na rede ferroviária chinesa é a Estação de Pequim (Beijing South Station) que não apenas serve como elemento chave da nova rede intermunicipal de alta velocidade da China, mas também é um imponente edifício que faz parte do plano diretor de Pequim - projetada pelo escritório de arquitetura britânico TPF Farrels. Ocupando uma área de 31 hectares a Estação se integra com a paisagem urbana, criando espaços públicos e praças em seu entorno e caracterizando-se como um verdadeiro "Portal de Entrada da Cidade".

Implantação

Esquema Funcional

Projetada para um volume de 105 milhões de passageiros por ano até o ano de 2030, atende um total de 286 mil passageiros por dia, contemplando picos de fluxo de até 33 mil passageiros/hora. O design desta estação multimodal proporciona facilidade de transporte utilizando uma estratégia de separação vertical de modo que os fluxos de tráfego de passageiros são diretos e eficientes.

Concluída em 2008, é uma das quatro principais estações ferroviárias construídas para o trem de alta velocidade de China e foi parte dos projetos de modernização implementados para as Olimpíadas de Pequim.

Situada no distrito de Fengtai, entre o segundo e terceiro anéis viários, a Estação de Pequim serve como ponto chave da rede ferroviária de alta velocidade ligando Pequim com as cidades do Delta do Rio Yangtze e as cidades de Tianjin e Xangai entre outras, atendendo uma região habitada por 270 milhões de pessoas.

A estação, de escala monumental, ocupa uma área de 320.000m². Mas sua forma e estrutura são claras e simples, e sua forma oval facilita a orientação entre os diversos setores, entradas e saídas, áreas de espera, plataformas e as zonas de intercâmbio. O edifício tem 3 níveis principais, com dois níveis de mezanino para parques de estacionamento. Os escritórios se localizam em dois prédios auxiliares.

Corte

Elevação

O grande desafio do projeto era atender o enorme volume de passageiros, separando as chegadas e partidas, colocando os passageiros a bordo na menor distância e tempo possível.

teste

A estratégia de design também incorpora zonas separadas para a perfeita integração e transição entre diferentes tipos de veículos, incluindo subterrâneos de estacionamento, com setores para carros, baias para táxi e vagas para ônibus.


A forma elíptica é uma solução eficaz para o fluxo de tráfego de veículos. A rede de estradas elevadas pode ajustar o fluxo do transito de e para a área da estação em todas as direções, ajudando a aliviar a congestão das ruas e avenidas adjacentes.

Há um total de 24 plataformas com características diferentes para receber os diversos tipos de trem, sejam os de alta velocidade (450 metros de comprimento), trens expressos (500 metros de comprimento) e os comboios intermunicipais (450 metros de comprimento),alem das plataformas específicas para os trens do metrô (120 metros de comprimento) no nível do subsolo.

A enorme estrutura é sustentada por mais de 60.000 toneladas de aço e consumiu 490.000 m³ de concreto. Na cobertura de vidro, mais de 3.000 painéis solares, geram eletricidade para o funcionamento da estação.

Projeto: TPF Farrels
Colaboradores: Third Railway Survey & Design Institute
Construção: 2003 a 2008

Fonte:

TPF Farrels (http://www.tfpfarrells.com/) / ArchDaily (http://www.archdaily.com/)
Fotos: Zhou Ruogu, Fu Xing, Oak Taylor Smith

Veja também : Estações Ferroviárias em China – Parte 2: Guangzhou

     

    Preço
    R$ 119,90
    à vista

    ou em até 3x de R$ 39,97

    M_in_noticia